domingo, 6 de fevereiro de 2011

1ª Mulher Indígena Oficial das Forças Armadas do Brasil

video 
Foram 500 anos de luta e pela primeira vez, após muitas batalhas, conquistamos o posto da 1ª Mulher Indígena Brasileira Oficial das Forças Armadas. O Brasil acaba de comemorar 30 anos da mulher nas forças armadas e agora incorpora a primeira mulher indígena como Oficial no Exército Brasileiro. Tivemos como destaque na  história das Forças Armadas do Brasil a luta e a garra do Oficial Indígena  Marechal Rondon.   Agora é a vez das mulheres indígenas. Foi uma luta, muitos testes, muitos nãos, muita perseverança pra provar COMPETÊNCIA. Silvia Nobre Waiãpi concorreu de igual pra igual com mais de 5000 candidatos e aprovada com um dos melhores currículos e pontuação do Brasil. A formatura foi dia 03 de fevereiro na CPOR-RJ. A Tenente Silvia Nobre nasceu no Amapá! É indígena de etnia Waiãpi, Pós graduando em Gênero e Sexualidade pelo Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos/Instituto de Medicina Social-UERJ; Graduando em Gestão Hospitalar na Estácio de Sá, Pós graduando em Gestão de Saúde Pública pela UFF,  é Formada em Artes (Faculdade da Cidade) e Fisioterapia (UNISUAM). Política e Estratégia pela A.D. Escola Superior de Guerra. Especialista em Anatomia e Biomecânica, Fisiologia do Exercício, Membro Fundador do Comitê de Fisioterapia Esportiva do Estado do Rio de Janeiro, Estrategista, Escritora, Atleta.
Foi condecorada com a Medalha Amigo da Marinha, MOÇÃO pela Câmara Municipal dos Vereadores do Rio de Janeiro; HONRA AO MÉRITO no XXII REUNIÃO ANUAL DA FESBE [Trabalho Científico]; Medalha Cultural Revista Brasília pelo Conselho Editorial do Grupo Brasília de Comunicação, Prêmio LIONS de Cultura pelo Lions Clube Rio de Janeiro - Ilha do Governador; Menção Honrosa no I Concurso Nacional de Contos- Revista Brasília; Medalha Cultural CASTRO ALVES, Medalha Cultural ORÍGENES LESSA, Medalha Cultural MONTEIRO LOBATO pela BLOCH EDUCAÇÃO / PETROBRÁS; Medalha Cultural E. D’Almeida Vitor pelo Conselho Editorial da Revista Brasília; Melhor POESIA PATRIOTA no Concurso Carioca de Poesias - EXPRESSÃO DA ALMA - RJ; PRÊMIO LACESA JOVEM ESCRITOR da Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul.
Defende a participação Política de Indígenas em assuntos de Relações Internacionais visando a Soberania do Brasil, no âmbito de Segurança e Proteção de Fronteiras para o fortalecimento da Expressão do Poder Nacional entre povos indígenas
É Membro da Rede Grumin de Mulheres Indígenas, Colaboradora da Associação de Mulheres Indígenas do Centro Oeste Paulista- AMICOP; Colaboradora do Conselho Nacional de Mulheres Indígenas- CONAMI, e Membro do GAPCon - Grupo de Análise e Prevenção de Conflitos Internacionais - G3 - Prevenção e Resolução de Conflitos Armados, Membro da Escola Sergio Vieira de Mello - EPAZ.
Podemos considerar a Tenente Silvia Nobre como mais um fenômeno indígena brasileiro, com sua grande participação e atuação no cenário político indígena e que muito orgulha a todos os seus pares.
 
Associação de Mulheres Indígenas do Centro Oeste Paulista -  AMICOP
Jupira Terena